SP – ESTREIA SIM, 02.07, NA GALERIA OLIDO

“SIM” é o novo trabalho da key zetta e cia., que estreia em temporada de 2 a 12 de julho, na Sala Paissandu do Centro de Dança Umberto da Silva – Galeria Olido. O título faz referência direta ao aforismo “276 – Para o Ano-Novo”, do filósofo alemão Friedrich Nietzsche (Gaia Ciência – 1882/87). A entrada é gratuita. A peça, que completa a trilogia iniciada com as duas criações anteriores – “Propulsão o que faz viver – sem título” (2012), e “Propulsão: o que faz viver – seguinte” (prêmio APCA/2013) –, propõe “celebrar” uma atitude no corpo e no pensamento de aceitação ativa em relação à própria vida e aos acontecimentos e encontros que se dão; refere-se a um corpo que não espera encontrar algo pronto, mas que, ao adentrar na duração, no tempo, cria sínteses produtoras de corpo. “O núcleo, em sua pesquisa, tem considerado essa ideia “movente” e geradora de movimento muito fina e de sutil, porém, potente força”, pontua Key Sawao, diretora da companhia em parceria com Ricardo Iazzetta. “SIM” surge do cruzamento entre o encontro do núcleo com o dançarino japonês radicado em Nova Iorque, Kota Yamazaki, e o aprofundamento das investigações sobre as ideias dos filósofos Henri Bergson (especialmente o livro “O pensamento e o movente”) e Niestzsche, continuamente provocadas e mediadas pelo filósofo Luiz Fuganti (Escola Nômade de Filosofia). “Com Yamazaki, foi possível experimentar no corpo o fluxo de movimento (fluid body), onde as mudanças dos corpos acontecem no próprio fluxo. No diálogo com Fuganti apareceu o conceito do “corpo como extensão do movimento”, que escolhemos como ponto de partida e verticalização de nossas investigações neste período de pesquisa”, aponta Ricardo Iazzetta. Se, em período anterior, o núcleo se interessou por questões acerca do homem em reflexões sobre finitude e continuidade, solidão inerente, bem como por adaptações motivadas por ob
“SIM” é o novo trabalho da key zetta e cia., que estreia em temporada de 2 a 12 de julho, na Sala Paissandu do Centro de Dança Umberto da Silva – Galeria Olido. O título faz referência direta ao aforismo “276 – Para o Ano-Novo”, do filósofo alemão Friedrich Nietzsche (Gaia Ciência – 1882/87). A entrada é gratuita. A peça, que completa a trilogia iniciada com as duas criações anteriores – “Propulsão o que faz viver – sem título” (2012), e “Propulsão: o que faz viver – seguinte” (prêmio APCA/2013) –, propõe “celebrar” uma atitude no corpo e no pensamento de aceitação ativa em relação à própria vida e aos acontecimentos e encontros que se dão; refere-se a um corpo que não espera encontrar algo pronto, mas que, ao adentrar na duração, no tempo, cria sínteses produtoras de corpo. “O núcleo, em sua pesquisa, tem considerado essa ideia “movente” e geradora de movimento muito fina e de sutil, porém, potente força”, pontua Key Sawao, diretora da companhia em parceria com Ricardo Iazzetta. “SIM” surge do cruzamento entre o encontro do núcleo com o dançarino japonês radicado em Nova Iorque, Kota Yamazaki, e o aprofundamento das investigações sobre as ideias dos filósofos Henri Bergson (especialmente o livro “O pensamento e o movente”) e Niestzsche, continuamente provocadas e mediadas pelo filósofo Luiz Fuganti (Escola Nômade de Filosofia). “Com Yamazaki, foi possível experimentar no corpo o fluxo de movimento (fluid body), onde as mudanças dos corpos acontecem no próprio fluxo. No diálogo com Fuganti apareceu o conceito do “corpo como extensão do movimento”, que escolhemos como ponto de partida e verticalização de nossas investigações neste período de pesquisa”, aponta Ricardo Iazzetta. Se, em período anterior, o núcleo se interessou por questões acerca do homem em reflexões sobre finitude e continuidade, solidão inerente, bem como por adaptações motivadas por ob
“SIM” é o novo trabalho da key zetta e cia., que estreia em temporada de 2 a 12 de julho, na Sala Paissandu do Centro de Dança Umberto da Silva – Galeria Olido. O título faz referência direta ao aforismo “276 – Para o Ano-Novo”, do filósofo alemão Friedrich Nietzsche (Gaia Ciência – 1882/87). A entrada é gratuita. A peça, que completa a trilogia iniciada com as duas criações anteriores – “Propulsão o que faz viver – sem título” (2012), e “Propulsão: o que faz viver – seguinte” (prêmio APCA/2013) –, propõe “celebrar” uma atitude no corpo e no pensamento de aceitação ativa em relação à própria vida e aos acontecimentos e encontros que se dão; refere-se a um corpo que não espera encontrar algo pronto, mas que, ao adentrar na duração, no tempo, cria sínteses produtoras de corpo. “O núcleo, em sua pesquisa, tem considerado essa ideia “movente” e geradora de movimento muito fina e de sutil, porém, potente força”, pontua Key Sawao, diretora da companhia em parceria com Ricardo Iazzetta. “SIM” surge do cruzamento entre o encontro do núcleo com o dançarino japonês radicado em Nova Iorque, Kota Yamazaki, e o aprofundamento das investigações sobre as ideias dos filósofos Henri Bergson (especialmente o livro “O pensamento e o movente”) e Niestzsche, continuamente provocadas e mediadas pelo filósofo Luiz Fuganti (Escola Nômade de Filosofia). “Com Yamazaki, foi possível experimentar no corpo o fluxo de movimento (fluid body), onde as mudanças dos corpos acontecem no próprio fluxo. No diálogo com Fuganti apareceu o conceito do “corpo como extensão do movimento”, que escolhemos como ponto de partida e verticalização de nossas investigações neste período de pesquisa”, aponta Ricardo Iazzetta. Se, em período anterior, o núcleo se interessou por questões acerca do homem em reflexões sobre finitude e continuidade, solidão inerente, bem como por adaptações motivadas por ob
“SIM” é o novo trabalho da key zetta e cia., que estreia em temporada de 2 a 12 de julho, na Sala Paissandu do Centro de Dança Umberto da Silva – Galeria Olido. O título faz referência direta ao aforismo “276 – Para o Ano-Novo”, do filósofo alemão Friedrich Nietzsche (Gaia Ciência – 1882/87). A entrada é gratuita. A peça, que completa a trilogia iniciada com as duas criações anteriores – “Propulsão o que faz viver – sem título” (2012), e “Propulsão: o que faz viver – seguinte” (prêmio APCA/2013) –, propõe “celebrar” uma atitude no corpo e no pensamento de aceitação ativa em relação à própria vida e aos acontecimentos e encontros que se dão; refere-se a um corpo que não espera encontrar algo pronto, mas que, ao adentrar na duração, no tempo, cria sínteses produtoras de corpo. “O núcleo, em sua pesquisa, tem considerado essa ideia “movente” e geradora de movimento muito fina e de sutil, porém, potente força”, pontua Key Sawao, diretora da companhia em parceria com Ricardo Iazzetta. “SIM” surge do cruzamento entre o encontro do núcleo com o dançarino japonês radicado em Nova Iorque, Kota Yamazaki, e o aprofundamento das investigações sobre as ideias dos filósofos Henri Bergson (especialmente o livro “O pensamento e o movente”) e Niestzsche, continuamente provocadas e mediadas pelo filósofo Luiz Fuganti (Escola Nômade de Filosofia). “Com Yamazaki, foi possível experimentar no corpo o fluxo de movimento (fluid body), onde as mudanças dos corpos acontecem no próprio fluxo. No diálogo com Fuganti apareceu o conceito do “corpo como extensão do movimento”, que escolhemos como ponto de partida e verticalização de nossas investigações neste período de pesquisa”, aponta Ricardo Iazzetta. Se, em período anterior, o núcleo se interessou por questões acerca do homem em reflexões sobre finitude e continuidade, solidão inerente, bem como por adaptações motivadas por ob
“SIM” é o novo trabalho da key zetta e cia., que estreia em temporada de 2 a 12 de julho, na Sala Paissandu do Centro de Dança Umberto da Silva – Galeria Olido. O título faz referência direta ao aforismo “276 – Para o Ano-Novo”, do filósofo alemão Friedrich Nietzsche (Gaia Ciência – 1882/87). A entrada é gratuita. A peça, que completa a trilogia iniciada com as duas criações anteriores – “Propulsão o que faz viver – sem título” (2012), e “Propulsão: o que faz viver – seguinte” (prêmio APCA/2013) –, propõe “celebrar” uma atitude no corpo e no pensamento de aceitação ativa em relação à própria vida e aos acontecimentos e encontros que se dão; refere-se a um corpo que não espera encontrar algo pronto, mas que, ao adentrar na duração, no tempo, cria sínteses produtoras de corpo. “O núcleo, em sua pesquisa, tem considerado essa ideia “movente” e geradora de movimento muito fina e de sutil, porém, potente força”, pontua Key Sawao, diretora da companhia em parceria com Ricardo Iazzetta. “SIM” surge do cruzamento entre o encontro do núcleo com o dançarino japonês radicado em Nova Iorque, Kota Yamazaki, e o aprofundamento das investigações sobre as ideias dos filósofos Henri Bergson (especialmente o livro “O pensamento e o movente”) e Niestzsche, continuamente provocadas e mediadas pelo filósofo Luiz Fuganti (Escola Nômade de Filosofia). “Com Yamazaki, foi possível experimentar no corpo o fluxo de movimento (fluid body), onde as mudanças dos corpos acontecem no próprio fluxo. No diálogo com Fuganti apareceu o conceito do “corpo como extensão do movimento”, que escolhemos como ponto de partida e verticalização de nossas investigações neste período de pesquisa”, aponta Ricardo Iazzetta. Se, em período anterior, o núcleo se interessou por questões acerca do homem em reflexões sobre finitude e continuidade, solidão inerente, bem como por adaptações motivadas por ob

Sim Direção: Key Sawao e Ricardo Iazzetta
Dança: Beatriz Sano, Carolina Minozzi, Key Sawao, Mauricio Florez e Ricardo Iazzetta.
Estágio: Rafael Anacleto
Coordenação de Arte e Espaço Cênico: Hideki Matsuka Luz: Domingos Quintiliano Trilha Sonora: André Menezes
Produção: Maíra Silvestre
key zetta e cia De 02 a 12 de julho de 2015 Quinta a sábado, às 20h; domingo, às 19h
Local: Galeria Olido – Sala Paissandu Av. São João, 473 – 2º andar – República – São Paulo/SP
Ingressos: Grátis Classificação: Livre

SP – SIM ESTREIA DIA 02.07

SIM, KEYZETTA E CIA SIM, KEYZETTA E CIA SIM, KEYZETTA E CIA SIM, KEYZETTA E CIA

Sim Direção: Key Sawao e Ricardo Iazzetta Dança: Beatriz Sano, Carolina Minozzi, Key Sawao, Mauricio Florez e Ricardo Iazzetta. Estágio: Rafael Anacleto Coordenação de Arte e Espaço Cênico: Hideki Matsuka Luz: Domingos Quintiliano Trilha Sonora: André Menezes Produção: Maíra Silvestre key zetta e cia De 02 a 12 de julho de 2015 Quinta a sábado, às 20h; domingo, às 19h Local: Galeria Olido – Sala Paissandu Av. São João, 473 – 2º andar – República – São Paulo/SP Ingressos: Grátis Classificação: Livre

SP – HOJE TEM ESTREIA DO MUSICANOAR NA SP ESCOLA DE TEATRO

DESLUGARES


DESLUGARES DESLUGARES

Deslugares. Grupo Musicanoar
Temporada: De 1º de abril a 23 de maio
Local: SP ESCOLA DE TEATRO – Sala R8 / Praça Roosevelt, 210 – Centro – SP

Mostra Rastros Deslugares
Abertura dia 8 de abril, às 21h30 até 23 de maio, das 10h as 21h
Local: SP ESCOLA DE TEATRO – Saguão

Lançamento do livro Corpo e Cidade
Local: SP ESCOLA DE TEATRO – Saguão
Dia 23 de maio

SP – DESLUGARES ESTREIA 1 DE ABRIL

DESLUGARES DESLUGARES DESLUGARESDESLUGARES

Deslugares, com o Grupo Musicanoar
Temporada: De 1º de abril a 23 de maio
Local: SP ESCOLA DE TEATRO – Sala R8

Mostra Rastros Deslugares e Intervenções Urbanas
Abertura dia 8 de abril, às 21h30
Local: SP ESCOLA DE TEATRO – Saguão

Lançamento do livro Corpo e Cidade. Moveres entre aproximações e distanciamentos
Local: SP ESCOLA DE TEATRO – Saguão
Dia 23 de maio

SP ESCOLA DE TEATRO – Praça Roosevelt, 210 – Centro – SP
Tel: 11 3775-8600

SP – O ANIMAL MAIS FORTE DO MUNDO

O Animal mais forte do mundo O Animal mais forte do mundo O Animal mais forte do mundo

O Animal mais forte do mundo

O Animal mais forte do Mundo – Cia. Ângelo Madureira e Ana Catarina Vieira

Fotografias: Inês Correa

VII MOSTRA DO FOMENTO À DANÇA 2013

O animal mais forte do mundo, na Sala Paissandú, Galeria Olido, em São Paulo

Quando: Hoje, 03.09.2013

Horário: 20 horas

Ficha Técnica

Direção artística, criação e pesquisa: Ângelo Madureira e Ana Catarina Vieira.

Elenco colaborador: Beto Madureira, Luiz Anastácio, Patricia Aockio, Ana Catarina Vieira e Ângelo Madureira.

SP – CIA. FRAGMENTO LANÇA LIVRO

Ecos - Cia. Fragmento

Ecos – Danilo Firmo e Maitê Molnar – Cia. Fragmento
Fotografia publicada no livro Pontes Móveis, modo de pensar a arte em suas relações com a contemporaneidade
Ensaio Fotográfico realizado no Espaço Kasulo. São Paulo – SP, 2012
Fotografia: Inês Corrêa

LANÇAMENTO DO LIVRO
Pontes Móveis – Modos de pensar a arte em suas relações com a contemporaneidade

Quando:  2 de abril 2013
Local: Galeria Olido, em São Paulo

FICHA TÉCNICA DO LIVRO

Idealização: Vanessa Macedo
Produção: Cia Fragmento de Dança
Organização: Angela Nolf e Vanessa Macedo
Assessoria Editorial: Ana Francisca Ponzio
Projeto Gráfico: Gustavo Domingues
Revisão: Andrea Marques Camargo
Realização: Programa Municipal de Fomento à Dança para a Cidade de São Paulo
Apoio: Cooperativa Paulista de Dança
Preço: distribuição gratuita
Número de páginas: 159 páginas
Email para solicitação do exemplar: producaociafragmento@gmail.com

SP – CANAL ABERTO

SEM TÍTULO – Angela Nolf, Lavinia Bizzotto e Roberto de Alencar – Cia. Fragmento
Fotografias: Inês Correa

“SEM TÍTULO” traz Angela Nolf, Lavinia Bizzotto e Roberto de Alencar em coreografia inédita de Vanessa Macedo. Release completo, fotografias, vídeo e informações sobre o trabalho da Cia. Fragmento, no CANAL ABERTO, blog da assessora de imprensa Márcia Marques.

SP – KATHARSIS EM SOROCABA

As estrelas são para sempre? Grupo Katharsis
Grupo Katharsis
Denni Pontes, Roberto Gill Camargo, 
Gui Martelli, Andréia Nhur, 
Janice Vieira e Paola Bertolini
Fotografias: Inês Correa

PROGRAME-SE
As estrelas são para sempre?
Quando: 22.12.12, 18 horas
Local: Colégio Dom Aguirre. Av. General Osório, 215. Sorocaba – SP
GRUPO KATHARSIS


 
Direção: Roberto Gill Camargo

Criação/execução Musical: Janice Vieira e Denni Pontes

Elenco: Andréia Nhur, Gui Martelli e Paola Bertolini

Dramaturgia: Roberto Gill Camargo e Andréia Nhur

Colaboração: Verônica Fabrini

Preparação corporal: Andréia Nhur

Iluminação: Roberto Gill Camargo

Produção: Gui Martelli

Confecção do boneco: João Carlos Andreazza

Fotos: Inês Correa

Filmagem: Marcelo Domingues
Apoio: Lei de Incentivo à Cultura de Sorocaba/LINC 2012

Parceria: Universidade de Sorocaba (UNISO)