SP – ESTREIA SIM, 02.07, NA GALERIA OLIDO

“SIM” é o novo trabalho da key zetta e cia., que estreia em temporada de 2 a 12 de julho, na Sala Paissandu do Centro de Dança Umberto da Silva – Galeria Olido. O título faz referência direta ao aforismo “276 – Para o Ano-Novo”, do filósofo alemão Friedrich Nietzsche (Gaia Ciência – 1882/87). A entrada é gratuita. A peça, que completa a trilogia iniciada com as duas criações anteriores – “Propulsão o que faz viver – sem título” (2012), e “Propulsão: o que faz viver – seguinte” (prêmio APCA/2013) –, propõe “celebrar” uma atitude no corpo e no pensamento de aceitação ativa em relação à própria vida e aos acontecimentos e encontros que se dão; refere-se a um corpo que não espera encontrar algo pronto, mas que, ao adentrar na duração, no tempo, cria sínteses produtoras de corpo. “O núcleo, em sua pesquisa, tem considerado essa ideia “movente” e geradora de movimento muito fina e de sutil, porém, potente força”, pontua Key Sawao, diretora da companhia em parceria com Ricardo Iazzetta. “SIM” surge do cruzamento entre o encontro do núcleo com o dançarino japonês radicado em Nova Iorque, Kota Yamazaki, e o aprofundamento das investigações sobre as ideias dos filósofos Henri Bergson (especialmente o livro “O pensamento e o movente”) e Niestzsche, continuamente provocadas e mediadas pelo filósofo Luiz Fuganti (Escola Nômade de Filosofia). “Com Yamazaki, foi possível experimentar no corpo o fluxo de movimento (fluid body), onde as mudanças dos corpos acontecem no próprio fluxo. No diálogo com Fuganti apareceu o conceito do “corpo como extensão do movimento”, que escolhemos como ponto de partida e verticalização de nossas investigações neste período de pesquisa”, aponta Ricardo Iazzetta. Se, em período anterior, o núcleo se interessou por questões acerca do homem em reflexões sobre finitude e continuidade, solidão inerente, bem como por adaptações motivadas por ob
“SIM” é o novo trabalho da key zetta e cia., que estreia em temporada de 2 a 12 de julho, na Sala Paissandu do Centro de Dança Umberto da Silva – Galeria Olido. O título faz referência direta ao aforismo “276 – Para o Ano-Novo”, do filósofo alemão Friedrich Nietzsche (Gaia Ciência – 1882/87). A entrada é gratuita. A peça, que completa a trilogia iniciada com as duas criações anteriores – “Propulsão o que faz viver – sem título” (2012), e “Propulsão: o que faz viver – seguinte” (prêmio APCA/2013) –, propõe “celebrar” uma atitude no corpo e no pensamento de aceitação ativa em relação à própria vida e aos acontecimentos e encontros que se dão; refere-se a um corpo que não espera encontrar algo pronto, mas que, ao adentrar na duração, no tempo, cria sínteses produtoras de corpo. “O núcleo, em sua pesquisa, tem considerado essa ideia “movente” e geradora de movimento muito fina e de sutil, porém, potente força”, pontua Key Sawao, diretora da companhia em parceria com Ricardo Iazzetta. “SIM” surge do cruzamento entre o encontro do núcleo com o dançarino japonês radicado em Nova Iorque, Kota Yamazaki, e o aprofundamento das investigações sobre as ideias dos filósofos Henri Bergson (especialmente o livro “O pensamento e o movente”) e Niestzsche, continuamente provocadas e mediadas pelo filósofo Luiz Fuganti (Escola Nômade de Filosofia). “Com Yamazaki, foi possível experimentar no corpo o fluxo de movimento (fluid body), onde as mudanças dos corpos acontecem no próprio fluxo. No diálogo com Fuganti apareceu o conceito do “corpo como extensão do movimento”, que escolhemos como ponto de partida e verticalização de nossas investigações neste período de pesquisa”, aponta Ricardo Iazzetta. Se, em período anterior, o núcleo se interessou por questões acerca do homem em reflexões sobre finitude e continuidade, solidão inerente, bem como por adaptações motivadas por ob
“SIM” é o novo trabalho da key zetta e cia., que estreia em temporada de 2 a 12 de julho, na Sala Paissandu do Centro de Dança Umberto da Silva – Galeria Olido. O título faz referência direta ao aforismo “276 – Para o Ano-Novo”, do filósofo alemão Friedrich Nietzsche (Gaia Ciência – 1882/87). A entrada é gratuita. A peça, que completa a trilogia iniciada com as duas criações anteriores – “Propulsão o que faz viver – sem título” (2012), e “Propulsão: o que faz viver – seguinte” (prêmio APCA/2013) –, propõe “celebrar” uma atitude no corpo e no pensamento de aceitação ativa em relação à própria vida e aos acontecimentos e encontros que se dão; refere-se a um corpo que não espera encontrar algo pronto, mas que, ao adentrar na duração, no tempo, cria sínteses produtoras de corpo. “O núcleo, em sua pesquisa, tem considerado essa ideia “movente” e geradora de movimento muito fina e de sutil, porém, potente força”, pontua Key Sawao, diretora da companhia em parceria com Ricardo Iazzetta. “SIM” surge do cruzamento entre o encontro do núcleo com o dançarino japonês radicado em Nova Iorque, Kota Yamazaki, e o aprofundamento das investigações sobre as ideias dos filósofos Henri Bergson (especialmente o livro “O pensamento e o movente”) e Niestzsche, continuamente provocadas e mediadas pelo filósofo Luiz Fuganti (Escola Nômade de Filosofia). “Com Yamazaki, foi possível experimentar no corpo o fluxo de movimento (fluid body), onde as mudanças dos corpos acontecem no próprio fluxo. No diálogo com Fuganti apareceu o conceito do “corpo como extensão do movimento”, que escolhemos como ponto de partida e verticalização de nossas investigações neste período de pesquisa”, aponta Ricardo Iazzetta. Se, em período anterior, o núcleo se interessou por questões acerca do homem em reflexões sobre finitude e continuidade, solidão inerente, bem como por adaptações motivadas por ob
“SIM” é o novo trabalho da key zetta e cia., que estreia em temporada de 2 a 12 de julho, na Sala Paissandu do Centro de Dança Umberto da Silva – Galeria Olido. O título faz referência direta ao aforismo “276 – Para o Ano-Novo”, do filósofo alemão Friedrich Nietzsche (Gaia Ciência – 1882/87). A entrada é gratuita. A peça, que completa a trilogia iniciada com as duas criações anteriores – “Propulsão o que faz viver – sem título” (2012), e “Propulsão: o que faz viver – seguinte” (prêmio APCA/2013) –, propõe “celebrar” uma atitude no corpo e no pensamento de aceitação ativa em relação à própria vida e aos acontecimentos e encontros que se dão; refere-se a um corpo que não espera encontrar algo pronto, mas que, ao adentrar na duração, no tempo, cria sínteses produtoras de corpo. “O núcleo, em sua pesquisa, tem considerado essa ideia “movente” e geradora de movimento muito fina e de sutil, porém, potente força”, pontua Key Sawao, diretora da companhia em parceria com Ricardo Iazzetta. “SIM” surge do cruzamento entre o encontro do núcleo com o dançarino japonês radicado em Nova Iorque, Kota Yamazaki, e o aprofundamento das investigações sobre as ideias dos filósofos Henri Bergson (especialmente o livro “O pensamento e o movente”) e Niestzsche, continuamente provocadas e mediadas pelo filósofo Luiz Fuganti (Escola Nômade de Filosofia). “Com Yamazaki, foi possível experimentar no corpo o fluxo de movimento (fluid body), onde as mudanças dos corpos acontecem no próprio fluxo. No diálogo com Fuganti apareceu o conceito do “corpo como extensão do movimento”, que escolhemos como ponto de partida e verticalização de nossas investigações neste período de pesquisa”, aponta Ricardo Iazzetta. Se, em período anterior, o núcleo se interessou por questões acerca do homem em reflexões sobre finitude e continuidade, solidão inerente, bem como por adaptações motivadas por ob
“SIM” é o novo trabalho da key zetta e cia., que estreia em temporada de 2 a 12 de julho, na Sala Paissandu do Centro de Dança Umberto da Silva – Galeria Olido. O título faz referência direta ao aforismo “276 – Para o Ano-Novo”, do filósofo alemão Friedrich Nietzsche (Gaia Ciência – 1882/87). A entrada é gratuita. A peça, que completa a trilogia iniciada com as duas criações anteriores – “Propulsão o que faz viver – sem título” (2012), e “Propulsão: o que faz viver – seguinte” (prêmio APCA/2013) –, propõe “celebrar” uma atitude no corpo e no pensamento de aceitação ativa em relação à própria vida e aos acontecimentos e encontros que se dão; refere-se a um corpo que não espera encontrar algo pronto, mas que, ao adentrar na duração, no tempo, cria sínteses produtoras de corpo. “O núcleo, em sua pesquisa, tem considerado essa ideia “movente” e geradora de movimento muito fina e de sutil, porém, potente força”, pontua Key Sawao, diretora da companhia em parceria com Ricardo Iazzetta. “SIM” surge do cruzamento entre o encontro do núcleo com o dançarino japonês radicado em Nova Iorque, Kota Yamazaki, e o aprofundamento das investigações sobre as ideias dos filósofos Henri Bergson (especialmente o livro “O pensamento e o movente”) e Niestzsche, continuamente provocadas e mediadas pelo filósofo Luiz Fuganti (Escola Nômade de Filosofia). “Com Yamazaki, foi possível experimentar no corpo o fluxo de movimento (fluid body), onde as mudanças dos corpos acontecem no próprio fluxo. No diálogo com Fuganti apareceu o conceito do “corpo como extensão do movimento”, que escolhemos como ponto de partida e verticalização de nossas investigações neste período de pesquisa”, aponta Ricardo Iazzetta. Se, em período anterior, o núcleo se interessou por questões acerca do homem em reflexões sobre finitude e continuidade, solidão inerente, bem como por adaptações motivadas por ob

Sim Direção: Key Sawao e Ricardo Iazzetta
Dança: Beatriz Sano, Carolina Minozzi, Key Sawao, Mauricio Florez e Ricardo Iazzetta.
Estágio: Rafael Anacleto
Coordenação de Arte e Espaço Cênico: Hideki Matsuka Luz: Domingos Quintiliano Trilha Sonora: André Menezes
Produção: Maíra Silvestre
key zetta e cia De 02 a 12 de julho de 2015 Quinta a sábado, às 20h; domingo, às 19h
Local: Galeria Olido – Sala Paissandu Av. São João, 473 – 2º andar – República – São Paulo/SP
Ingressos: Grátis Classificação: Livre

SP – SIM ESTREIA DIA 02.07

SIM, KEYZETTA E CIA SIM, KEYZETTA E CIA SIM, KEYZETTA E CIA SIM, KEYZETTA E CIA

Sim Direção: Key Sawao e Ricardo Iazzetta Dança: Beatriz Sano, Carolina Minozzi, Key Sawao, Mauricio Florez e Ricardo Iazzetta. Estágio: Rafael Anacleto Coordenação de Arte e Espaço Cênico: Hideki Matsuka Luz: Domingos Quintiliano Trilha Sonora: André Menezes Produção: Maíra Silvestre key zetta e cia De 02 a 12 de julho de 2015 Quinta a sábado, às 20h; domingo, às 19h Local: Galeria Olido – Sala Paissandu Av. São João, 473 – 2º andar – República – São Paulo/SP Ingressos: Grátis Classificação: Livre

SP – DESLUGARES ESTREIA 1 DE ABRIL

DESLUGARES DESLUGARES DESLUGARESDESLUGARES

Deslugares, com o Grupo Musicanoar
Temporada: De 1º de abril a 23 de maio
Local: SP ESCOLA DE TEATRO – Sala R8

Mostra Rastros Deslugares e Intervenções Urbanas
Abertura dia 8 de abril, às 21h30
Local: SP ESCOLA DE TEATRO – Saguão

Lançamento do livro Corpo e Cidade. Moveres entre aproximações e distanciamentos
Local: SP ESCOLA DE TEATRO – Saguão
Dia 23 de maio

SP ESCOLA DE TEATRO – Praça Roosevelt, 210 – Centro – SP
Tel: 11 3775-8600

SP – CIA. FRAGMENTO LANÇA LIVRO

Ecos - Cia. Fragmento

Ecos – Danilo Firmo e Maitê Molnar – Cia. Fragmento
Fotografia publicada no livro Pontes Móveis, modo de pensar a arte em suas relações com a contemporaneidade
Ensaio Fotográfico realizado no Espaço Kasulo. São Paulo – SP, 2012
Fotografia: Inês Corrêa

LANÇAMENTO DO LIVRO
Pontes Móveis – Modos de pensar a arte em suas relações com a contemporaneidade

Quando:  2 de abril 2013
Local: Galeria Olido, em São Paulo

FICHA TÉCNICA DO LIVRO

Idealização: Vanessa Macedo
Produção: Cia Fragmento de Dança
Organização: Angela Nolf e Vanessa Macedo
Assessoria Editorial: Ana Francisca Ponzio
Projeto Gráfico: Gustavo Domingues
Revisão: Andrea Marques Camargo
Realização: Programa Municipal de Fomento à Dança para a Cidade de São Paulo
Apoio: Cooperativa Paulista de Dança
Preço: distribuição gratuita
Número de páginas: 159 páginas
Email para solicitação do exemplar: producaociafragmento@gmail.com

SP – CANAL ABERTO

SEM TÍTULO – Angela Nolf, Lavinia Bizzotto e Roberto de Alencar – Cia. Fragmento
Fotografias: Inês Correa

“SEM TÍTULO” traz Angela Nolf, Lavinia Bizzotto e Roberto de Alencar em coreografia inédita de Vanessa Macedo. Release completo, fotografias, vídeo e informações sobre o trabalho da Cia. Fragmento, no CANAL ABERTO, blog da assessora de imprensa Márcia Marques.

SP – KATHARSIS EM SOROCABA

As estrelas são para sempre? Grupo Katharsis
Grupo Katharsis
Denni Pontes, Roberto Gill Camargo, 
Gui Martelli, Andréia Nhur, 
Janice Vieira e Paola Bertolini
Fotografias: Inês Correa

PROGRAME-SE
As estrelas são para sempre?
Quando: 22.12.12, 18 horas
Local: Colégio Dom Aguirre. Av. General Osório, 215. Sorocaba – SP
GRUPO KATHARSIS


 
Direção: Roberto Gill Camargo

Criação/execução Musical: Janice Vieira e Denni Pontes

Elenco: Andréia Nhur, Gui Martelli e Paola Bertolini

Dramaturgia: Roberto Gill Camargo e Andréia Nhur

Colaboração: Verônica Fabrini

Preparação corporal: Andréia Nhur

Iluminação: Roberto Gill Camargo

Produção: Gui Martelli

Confecção do boneco: João Carlos Andreazza

Fotos: Inês Correa

Filmagem: Marcelo Domingues
Apoio: Lei de Incentivo à Cultura de Sorocaba/LINC 2012

Parceria: Universidade de Sorocaba (UNISO)

SP 2 – SAIA DO VÁCUO

Vácuo. Key zetta e Cia.
(fotografias do ensaio)
16° Cultura Inglesa Festival – Galeria Olido – São Paulo – SP
Fotografia: Inês Correa 

SAIA DE CASA/SAIA DO VÁCUO: Se você não foi na estreia ontem, vá hoje

Quando: Hoje, dia 26.05.12, 20 horas.
 Domingo, 27, 19 hrs.
Ficha técnica
Concepção: Hideki Matsuka, Key Sawao e Ricardo Iazzeta
Direção: Key Sawao e Ricardo Iazzeta
Criação e dança: Beatriz Sano, Key Sawao e Ricardo Iazzeta
Coordenação de Arte/ Espaço Cênico: Hideki Matsuka

SP – ENSAIO VÁCUO

Vácuo. Key zetta e Cia.
(ensaio)
16° Cultura Inglesa Festival – Galeria Olido – São Paulo – SP
Fotografia: Inês Correa
SAIA DE CASA: Estreia hoje
Quando: Hoje, dia 25.05.12, 20 horas.
Sábado, 26, 20 hrs e Domingo, 27, 19 hrs.

Ficha técnica

Concepção: Hideki Matsuka, Key Sawao e Ricardo Iazzeta
Direção: Key Sawao e Ricardo Iazzeta
Criação e dança: Beatriz Sano, Key Sawao e Ricardo Iazzeta
Coordenação de Arte/ Espaço Cênico: Hideki Matsuka

SP – CORPO INDICADO

Flutuante, Cia. Flutuante
Ensaio, 2011
Fotografia: Inês Corrêa

Em novembro, o blog CORPOEMIMAGEM foi indicado pelo blog MOVIMENTE na sessão foto da semana. No post Inês Corrêa – Indicação, o Movimente apresenta a fotografia do trabalho Flutuante, da Cia. Flutuante, de Letícia Sekito e diz que o Corpoemimagem, da fotojornalista Inês Corrêa, “tem muito mais a contribuir com a referência de fotografia voltada ao corpo e a dança”.

Movimente é um fórum de artistas da dança de Campo Grande, Mato Grosso do Sul. São diversos colaboradores, entre eles, Christiane Araújo, Denise Delatim, Franciella Cavalheri, Isabelle Launay, Josemar de Campos Maciel, Letícia Sicsú, Maíra Espíndola.

No Movimente é possível encontrar posts de fotografia, videodança, espetáculos, textos e pensamentos sobre o que mais interessa: o corpo e a dança. Vá conferir.

Veja mais fotografias de dança no blog Corpoemimagem aqui ou aqui no wordpress.